sexta-feira, 18 de agosto de 2017

"Torne-se professor e aumente sua renda", uma reflexão por Juan Cosme







Há tempos uma propaganda não me fazia refletir tanto. A nossa sociedade precisa repensar pra ontem o papel do professor e a sua função social. Professor não é um bico, uma ocupação pra complementar a renda. Professor é uma profissão honrada que necessita dedicação e esforço diário, com muito trabalho pra casa e, infelizmente, pouca valorização (nem sentimental, nem financeira). A desvalorização financeira nos obriga a nos desdobrar em várias escolas, alunos particulares e trabalhos extras para compor uma renda digna. Isso é não é novidade pra ninguém. Meu amigos, inclusive, já estão acostumados com os meus horários loucos e a recusa a vários programas para poder trabalhar em horários alternativos, inclusive no final de semana. A desvalorização sentimental é aquela que faz a família, hoje em dia, ficar menos empolgada quando o filho conta que quer ser professor do que quando ele diz que quer ser um médico, um engenheiro ou um advogado. Os filhos das classes média e alta no nosso país não têm a carreira do magistério como um caminho digno ou possível. Afinal, para muitos ser professor é escolher morrer de fome ou abraçar a hipossuficiência, mesmo sendo obrigado a estudar e se atualizar eternamente. Ser professor é ser taxado de vagabundo quando reivindica seus direitos trabalhistas, porque ele "só dá aula". Aliás, é o sentimento de "só dar aula" que propõe esse pensamento atrasado de mostrar a profissão como complemento de renda, o famoso bico. O país precisa de professores que se sintam professores e não que estejam professores. Por uma carreira digna, não de complementação, precisamos brigar. Por mais gente que seja e não que esteja. O ser te garante o crescimento, o preparo do terreno, o cuidado com a vegetação que ali cresce. Há uma consciência da sua função. O estar se associa a tirar o máximo de proveito daquilo enquanto é útil. Usufruir e depois abandonar. Explorar. E propagandas como essa se aproveitam da lamentável realidade social e não incentivam em nada a capacitação profissional e a valorização do professor. Professor não é bico. Ser professor não é complemento de renda. 

Obrigado pelo desserviço, Faculdade Anhanguera e Luciano Huck.
Postar um comentário